Crédito para empreendedores: conheça o modelo peer-to-peer

Você já ouviu falar no novo modelo de crédito para empreendedores, o modelo peer-to-peer?

Revelamos para você o segredo que alguns empreendedores estão escondendo: Peertopeer, a nova modalidade de crédito para empreendedores.


Peertopeer: o novo modelo de crédito para empreendedores

Com os ainda que tímidos sinais de retomada da atividade econômica brasileira em 2019, novas PMEs surgiram nesse ano. No entanto, os resultados pífios da economia em 2018 ainda são sentidos.

A tendência é que para 2020 essa “ressaca” do mercado passe e o país volte aos patamares de crescimento de 2015, o último ano superavitário da economia tupiniquim.

Portanto, ainda sofrendo com os indicadores, muitas dessas novas empresas enfrentam certa dificuldade financeira para alcançar o ponto de equilíbrio e/ou acumular capital para crescer.

Muitas dessas empresas estão com as luzes vermelhas acessas e os empreendedores buscam alternativas para fomentar seus negócios. Mas as altas taxas de juros desestimulam a tomada de empréstimo por empresas endividadas.

E enquanto o setor de empréstimo para pessoa física registra recordes, o mercado de crédito empresarial encolheu se comparado aos anos anteriores.

Diante desse cenário, algumas empresas estão entrando em um novo modelo de crédito: o peer-to-peer.

O peer-to-peer é relativamente novo para o mercado nacional e consiste basicamente em: pessoas físicas emprestando dinheiro para pequenos e médios empresários ao passo que  lucram com os juros.

Dessa maneira, para serem realmente uma alternativa aos modelos tradicionais de crédito, devem disponibilizar crédito com juros menores para o tomador e alta rentabilidade para o investidor.

Peer-to-peer: como funciona?

O processo para conseguir um financiamento peer-to-peer é parecido com os empréstimos tradicionais: Uma rigorosa análise de crédito, a fixação de valores, juros e prazos do acordo. Mas somente depois de aprovado na análise e aceito os termos do acordo é que o processo se diferencia.

Após finalizar esse tramite, as plataformas de financiamento juntam diversos contratos de empréstimo do mesmo tipo ou muito similares (seja pela atividade econômica, montante e/ou taxas) em um pacote e o oferecem aos investidores interessados em comprar uma cota.

Peer-to-peer: vale mesmo a pena?

Se o que empreendedor precisa mesmo é de crédito para o seu negocio, o peer-to-peer é uma excelente opção, uma vez que opera com taxas muito abaixo do mercado tradicional e sem grandes complicações e burocracias. 
 
Além disso, é possível requerer o crédito para investimento inicial, expansão do negocio, compra de ativos, capital de giro, antecipação de receitas e outras modalidades de crédito.

Peer-to-peer: Conheça algumas fintechs

A seguir, a fim de facilitar sua escolha, apresentaremos algumas fintechs que operam com o modelo de crédito peer-to-peer:

Nexoos

A Nexoos é a operadora der do mercado P2P.

A empresa emprestou desde o seu surgimento cerca de R$230MM.

Os empreendedores podem solicitar empréstimos de R$15 mil a 500 mil e suas taxas variam de 1,3 a 4,3% a.m.

Firgun

Firgun é uma opção interessante de investida para empreendedores que tem como característica o pequeno negócio. O investidor pode obter informações do negócio como valor investido, número de investidores e comparar opções numa mesma tela. Então vale a pena conferir. 

Biz

A BIZ concede empréstimos de até R$150mil. A avaliação de risco e liberação do crédito leva em conta o porte e faturamento da empresa.

A Fintech promete liberação ágil e sem burocracia do empréstimo, que pode ser feito até mesmo pelo app da empresa.

Enfim, você gostou desse modelo de crédito ou ficou com alguma dúvida sobre o tema? Deixe um comentário para nós e não esqueça de compartilhar esse artigo em suas redes sociais.

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes sociais!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no twitter
Twitter

Deixe um comentário