Tudo sobre MEI, entenda todos os passos e torne-se um empreendedor

tudo sobre microempreendedor

Tudo que você precisa saber sobre MEI antes de começar a empreender

Entenda como funcionam os processos de regularização e como funciona essa modalidade


A nova forma de empreender

Assumir o papel de empreendedor individual no Brasil está cada vez mais comum, portanto, saiba tudo sobre MEI (Microempreendedor individual).

Mas, apesar dessa expansão, são poucos os empreendedores que conhecem todos os detalhes sobre esse tipo de negócio.

Ou seja, nem sempre o caminho para obter sucesso como MEI é fácil.

Por conta da grande quantidade de dúvidas, os erros podem começar a acontecer desde o início dessa “jornada”.

É importante lembrar que o requisito mínimo para se tornar MEI é: ter mais de 18 anos e não estar vinculado a qualquer empresa.

A partir desse período, você estará apto a se tornar um microempreendedor individual.

O que significa MEI e como funciona

Como dito anteriormente, MEI significa microempreendedor individual, que se trata de uma pessoa que cria uma empresa por conta própria.

Ou seja, sem sócios.

Além do enquadramento como MEI, existe o ME (Microempreendedor) e a EPP (Empresa de Pequeno Porte).

Mas, o MEI é o primeiro indicado para negócios menores, graças ao limite de faturamento de R$ 81 mil ao ano.

Você deve estar se perguntando, mas qual a diferente entre esses tipos de enquadramento? Por que não escolher outro?

O MEI é o enquadramento mais simples dos três citados acima, podendo ser feito por meio do site Portal do Empreendedor.

No caso dos outros enquadramentos, você passará por processos burocráticos que muitas vezes exigem ajuda de um profissional.

Tenho interesse, o que eu faço para me tornar MEI?

A resposta é bem simples.

Se você opta por se tornar um microempreendedor você só precisa se cadastrar no site e informar seus dados.

Após esse processo, você estará pronto para receber seu CNPJ.

Ao receber seu CNPJ, você estará regularizado como microempreendedor individual, portanto, deverá contribuir mensalmente.

O valor da contribuição varia de acordo com a área de atuação de cada microempreendedor.

As atividades são:

  • ICMS Indústria ou Comércio – R$49,90 (INSS) + R$ 1,00
  • ISS Prestadores de Serviço – R$ 49,90 (INSS) + $ 5,00
  • Comércio e Serviços – R$ 49,90 (INSS) + R$ 6,00

No entanto, nessa modalidade o microempreendedor não precisa encaminhar nenhum documento à Junta Comercial.

O Microempreendedor Individual deve preencher um relatório mensal até o dia 20 de cada mês, referente ao mês anterior.

É importante anexar as notas fiscais que emitiu, de produtos comprados, ou serviços contratados, nesse relatório.

Dessa forma, você mantém um controle sobre seu rendimento.

Tome alguns cuidados

Assumir o papel de microempreendedor individual parece fácil, não é? Mas é claro que existem alguns pontos que merecem atenção.

Caso o MEI deixe de pagar mensalmente o DAS (Documento de Arrecadação Simplificada) ele perde o seguro social do INSS.

É possível perder o CNPJ e o MEI deve arcar com consequências legais.

Ou seja, um especialista contábil pode ser uma boa opção para te auxiliar na hora de organizar suas finanças.

E quando eu atingir o limite de faturamento?

Como dito anteriormente, sendo MEI você conta com um limite de faturamento de R$ 81 mil e ao atingir esse limite, você precisa realizar outro procedimento.

Nesse caso, o MEI deve migrar de categoria, se tornando ME.

Para saber mais sobre essa mudança, acesse nosso texto de alteração de MEI para ME.

Gostou do nosso conteúdo? Siga nosso perfil nas redes sociais e compartilhe com seus amigos!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no twitter
Twitter

Deixe um comentário